A noiva diante do altar

“Cristo quis que a unidade e a estabilidade do casamento, exigidas pela própria origem desta instituição, fossem santas e invioláveis para sempre. […] Em primeiro lugar, a união conjugal veio a receber um fim muito mais nobre e elevado do que antes, pois o fim que lhe foi assinado não constituiu somente em propagar o gênero humano, mas também dar frutos a Igreja […] Em segundo lugar, foram perfeitamente definidos os deveres de cada um dos cônjuges e exatamente determinados os seus direitos, de tal sorte que têm eles obrigação de nunca se olvidarem de manter reciprocamente grande e profundo afeto, de guardarem constante e mútua fidelidade e de conservarem uma convivência recíproca, dedicada e assídua. O homem é o chefe da família e a cabeça da mulher: esta, todavia, por isso que é carne da sua carne e osso dos seus ossos, deve submeter-se e obedecer seu marido, não à maneira de uma escrava, mas na qualidade de companheira, para que não falte nem a honestidade, nem a dignidade na obediência que ela lhe prestar. E cumpre assim que ele, que é o chefe da família, como ela, que deve obedecer, tenham sempre presente a caridade divina no cumprimento dos seus respectivos deveres, porque ambos os cônjuges são a imagem um de Cristo, o outro da Igreja. O homem é a cabeça da mulher, assim como Cristo é a cabeça da Igreja… Mas assim como a Igreja está sujeita a Jesus Cristo, assim também as mulheres devem estar sujeitas aos seus maridos em todas as coisas.”

Papa Leão XIII, Arcanum Diviniae Sapientiae

Eis belos princípios para o Santo Matrimônio! Como princípios, são portanto invioláveis, como disse o Papa, pois consiste na vontade de Nosso Senhor: verdades definidas por Ele mesmo. Os dois pontos principais destacados no trecho acima – o fim do casamento e os papéis perfeitamente determinados para cada cônjuge – são de uma misericórdia para conosco que emociona. Como Nosso Senhor foi firme e irrefutável! Não fosse essas palavras eternizadas no Santo Evangelho – e repetidas incansavelmente pela Santa Igreja – que sentido haveria no casamento? Muito me alegra ter subido ao altar consciente das minhas obrigações, bem como meu esposo. Sabemos o que esperar um do outro, temos uma luz verdadeira para nos guiar no caminho que escolhemos trilhar: Cristo e Sua Igreja. Agora, vejamos o dia do meu casamento:

Eram exatamente 10 horas da manhã quando parei nesta escada. Por um momento – até que minha irmã fosse avisar ao fotógrafo que eu já estava ali – fiquei sozinha na frente da igreja. Como a porta “barra-vento” estava fechada, os convidados também não podiam me ver. Acho que esta solidão durou 3 minutos. Imaginei a apreensão do meu noivo: pouco tempo nos separava do grande acontecimento! Então já não haveria mais noivo ou noiva, véus brancos, casas separadas… os últimos momentos de uma fase da vida que não voltará jamais. Presenciei este minuto que nos muda por inteiro, e com que consciência e clareza! Na frente desta escada, dei adeus à noivinha: com tanta saudade dela, achando-a completamente embrulhada para presente!

Nos casamos na Igreja de Santo Amaro de Ipitanga, em Lauro de Freitas – uma cidade do interior bem próxima à Salvador, onde Vladimir morava. A Igreja tem mais de 400 anos, e parecia feita para nós: foi como entrar em casa! Não poderia me imaginar casando em outra: parecia adornada na medida exata para os noivos, com uma fachada simples, e uma escada como imaginei… acho que cada noiva deve achar isso da própria igreja dos sonhos, pois esta era a minha. E ela também parecia ideal para se casar durante o dia, pois é ornamentada com azulejos portugueses, poucos detalhes dourados e madeira. Uma igreja tradicional e simples ao mesmo tempo, apesar de grande.

O Sol estava forte, como dá para perceber pelas fotos. Eu não me maquiei muito – o que foi útil para não borrar o rosto; acho até que não demorei para me aprontar. Tão logo arrumaram meu cabelo, colocaram o vestido em mim e o véu, fiquei no sofá de casa esperando me buscarem. Nossa cerimônia foi breve – cerca de 40 ou 50 minutos – e foi presidida pelo Pe. Ângelo, que é também nosso amigo. Acho que uns 15 minutos depois do início já estávamos casados! Queridos amigos foram nos ver, alguns eu não via há muitos anos… eu estava com um pouco de vergonha, afinal a noiva é o centro das atenções! Quando eu estava no fundo da igreja, achei que não conseguiria entrar, pois estavam todos virados na minha direção… nada mais óbvio, certo? Entrei devagar, ao som da marcha do príncipe da Dinamarca – e segundo Vladimir, eu parecia uma nuvem entrando, por causa dos passos lentos e do volume da saia do vestido. Olhando as fotos não parece tão cheia, mas havia pelo menos umas seis saias por baixo da renda. Algumas costuradas diretamente no vestido, outras não.

Aumentando as fotos é possível ver os detalhes do meu vestido de noiva. Eu escolhi este vestido modificando o modelo “Metis” de Valentino, que era na cor marfim. No final, a comparação mais evidente entre esse modelo e o meu é o padrão da renda, pois eu redesenhei-o em suas partes decisivas.  Pedi que a “saia” começasse 2 cm antes da cintura – para se adequar melhor ao meu tipo de corpo; e a verdade é que o modelo de Valentino, tal como foi feito (a saia começa abaixo do quadril), desenha muito o tronco da mulher, ficando sensual demais. Tive esses cuidados, pois desejava me enfeitar para o casamento, da maneira que melhor se adequasse a minha personalidade. Queria, sim, me enfeitar, mas não me fantasiar. Noiva não é fantasia, é adorno. É símbolo, como tudo que usamos. O original era feito com renda  “strech”, daí imaginei que o ateliê seguiria esse padrão, de modo que fiz algumas ressalvas quanto às mangas –  exigi que fossem forradas e chegassem aos pulsos. Mas o resultado foi que as mangas ficaram muito apertadas e tiveram de ser completamente refeitas, já que a renda usada no meu vestido não tinha a elasticidade do modelo “Metis”.  Isto a menos de 3 semanas do casamento!  Também fiquei um pouco surpresa com o resultado final, pois imaginei que ficaria menos suntuoso. Na minha concepção, ele teria menos volume, e a renda não seria tão parecida. O resultado da renda ficou próximo ao modelo de Valentino porque cada detalhe da renda é colado num tule liso – isto é, este padrão de renda não é obtido de uma peça inteira, mas resultado de uma montagem.

O vestido foi feito num ateliê de alta costura, e é meu para sempre! Ainda não comprei a caixa onde ele ficará guardado, mas muito me alegra tê-lo comigo para mostrar às minhas filhas. Tenho poucas esperanças de que alguma delas possa se casar com ele, pois sendo Vladimir muito mais alto do que eu, temo que não servirá na altura de nenhuma das futuras moças. Para as moças que tiverem um pouco mais de condição de pagar por um modelo, aconselho a procurar tais ateliês – caso contrário, uma boa costureira será capaz de fazer um modelo mais simples. Os serviços de alta costura costumam ser mais caros, mas acho que ainda compensa o preço do aluguel. Pelo menos, no meu caso. Não pesei o vestido depois que coloquei as saias separadas, mas sem elas ele pesava 3kg. Alguém comentou: “vestido rendado é mais católico! Os desenhos, o volume: reflete os ornamentos das igrejas, combina com as iluminuras!” Bem, se concordar com isso, pode pensar em criar para o seu algo parecido. Sempre idealizei um modelo rendado, pois amo rendas em particular, e havia acreditado que elas são, realmente, mais “católicas”!

Sendo a cerimônia breve, posso dizer que a manhã do meu casamento foi muito agradável – não sofri com o calor, como podem crer alguns por conta do modelo. As meias finas me causaram mais incômodo que as mangas! Quando terminamos, cumprimentamos os convidados, tiramos algumas fotos e… fomos para casa. Meu buquê foi colocado por Vladimir no altar de Nossa Senhora. Quanta alegria! Ainda fiquei de “noiva” um tempo no sofá de casa, pois me sentia uma verdadeira rainha com aquele vestido! De fato, que dignidade a Santa Igreja confere às noivas: todas podem ser rainhas neste dia! A alegria do meu noivo era ver-me tão enfeitada, como jamais havia me visto. Quando eu estava entrando no carro para ir à igreja, uma vizinha comentou: “parece uma santa!”. Emocionou-me tal elogio, vindo de uma mulher tão simples, como nenhum outro… eu, uma  escrava de Nossa Senhora, ser comparada com a glória do Céu!

Para os olhos daquela mulher, ver-me toda coberta com uma mantilha lembrava um altar… e não é para o altar que nos dirigimos quando casamos? Então por que algumas moças vão como se estivessem se arrumando para um baile ou para uma festa?  Tomai isso para ti como reflexão, assim como eu tomei para mim, através destas singelas palavras. Se as noivas vão para o altar, é justo que lembrem quem, com tanta honra, a igreja eleva ali… na frente do altar, noivo e noiva complementam a ornamentação… e nos altares, Maria Santíssima está sempre presente. Como filhas desta Mãe perfeitamente modesta, devemos imitá-la, buscar seu exemplo! Pois, ao longo dos séculos, Nossa Senhora – em suas aparições, pinturas e esculturas – revelou-se não com as roupas que fazia uso na época de sua vida terrena, mas muitas vezes com roupas tradicionais e contemporâneas de determinado local e cultura. Isto é ter Nossa Senhora como exemplo perfeito de modéstia: é escolher, frente à determinada época, aquilo que há de mais digno, e, principalmente, que é símbolo das virtudes cristãs!

Não posso deixar de me emocionar com as pequenas lembranças deste dia… alguém perguntará: “que mais aconteceu?” E eu responderia: pequenas emoções em cada detalhe, mas só minhas… os votos, meu sobrinho levando as alianças… tudo conforme a mais exata descrição de como costumam ser tais coisas, sem maiores acréscimos… quanto ao meu coração: este sim, tornava tudo diferente! Rezei por todos que por mim rezaram, que colocaram nas suas intenções o meu casamento… pedi filhinhos para quem eu sei que espera, noivos para quem ainda não tem, felicidade no casamento de quem já encontrou o seu amor…  e agradeci em oração muitas vezes por estar ali, recebendo o belo sacramento – eu, que como todos os batizados, fui resgatada das mãos do demônio pelo alto preço do sangue de Nosso Senhor! Não contente, Jesus Cristo, quis mais! Que Ele queira igualmente, a minha fidelidade a Ele, o verdadeiro amor, os sofrimentos… pois sem Deus, nada podemos!

Quando já estava em casa, pensei comigo que todas deveriam casar como eu: da maneira como possam, pois isto torna cada detalhe gratificante. Passamos por muitas provações e dificuldades para casar – muitas coisas simples, por exemplo, davam errado, tínhamos de ver determinado item muitas vezes… não houve o que se resolvesse facilmente, pois assim se apresentam os empecilhos para as coisas de Deus. Por outro lado, Nosso Senhor nos protege bastante. Digo que todas deveriam casar como eu, pois sei que muitas sentem muito forte a pressão dos familiares, para ter tudo conforme um único “script”… não casam se não tiver a festa, se não tiver o carro sofisticado para buscar em casa, sem dia da noiva, sem …. e tanto aumentam a lista que esquecem do valor sacramental do casamento.  Na verdade, é bem possível que muitas destas coisas acabem por distanciá-la do valor sobrenatural deste dia… pesquisando para o meu casamento, vi tantas noivas perdidas em detalhes da festa, que muitas vezes tratavam com indiferença o casamento propriamente dito. Claro, estou falando para aquelas que ainda praticam a religião, e não para a grande maioria que casa na igreja atualmente, mas sem nenhum propósito.

A cerimônia religiosa não é “uma parte”, é a única parte; se vai festejar posteriormente, tudo bem, mas como se passa geralmente pouco mais de meia hora na igreja, e mais de cinco horas num salão de festas, não é de se estranhar porque algumas mulheres se perdem com preocupações inúteis. Festejar o casamento deve ser o que é: ação de graças entre bons amigos, para um momento de alegria do que foi a união na igreja… não pode se transformar no “casamento”. Conheço muitas moças que não se casaram na igreja por “falta de condições”… na verdade, falta de condições de fazer como nas novelas. É sempre agradável casar – assim como planejar toda uma vida – de acordo com as reais condições do casal…. o casamento é um bom termômetro de como organizarão a vida financeira em família, pois se escolhem ter um tipo de casamento além das contas, como escolherão o bairro onde querem morar, a casa, etc.? Deve-se planejar com alegria e conforto, e muitas poderão tranquilamente pagar por muitos itens sofisticados – mas tantas outras deverão escolher.

Eu mesma tive minha singela festa, alguns dias depois do casamento. Um casal de amigos preparou para nós… venho postar sobre isso depois. Foi muito bonito! Agora deixo-os com algumas das fotos do meu casamento. Eis que já sou uma senhora… já se passaram alguns dias, já experimento algumas obrigações da dona-de-casa, futura mãe e esposa… rezem por mim, para que, destemida, eu vença as batalhas e tentações do meu estado. Fiquem com o Bom Deus e Salve Maria Santíssima!

“Querendo dar uma imagem adequada de sua íntima e estreita união com a Igreja, e de seu imenso amor para conosco, Cristo Nosso Senhor indicou a dignidade de tão grande mistério, principalmente pela comparação que fez com a sagrada união entre o homem e a mulher.

“Realmente, vem muito a propósito, porque de todas as relações entre os homens, como nos será fácil averiguar, nenhuma prende de maneira mais forte que o matrimônio; porquanto marido e mulher estão ligados um ao outro pela mais intensa caridade e benevolência. Por isso, as Sagradas Escrituras apresentam-nos, tantas vezes, a união de Cristo com a Igreja sob a imagem de umas núpcias […] Ora, este sacramento significa e confere uma graça; e nisto está principalmente o caráter sacramental.”

Do Catecismo Romano

Te amo eternamente, marido meu!

Anúncios

43 comentários sobre “A noiva diante do altar

  1. Linda! Lindo casal! Emocionante relato!

    Glória a Deus por existirem pessoas como você e seu esposo, que testemunham o amor de Deus por nós refletido no amor e respeito mútuo dos cônjuges.

    Deus os abençoe e os tornem cada dia mais semelhantes à Sagrada Família!

  2. Pingback: Meu Vestido de Noiva «

  3. Lu, Parabéns! Você ficou lindíssima de noiva, seu vestido é lindo!!

    Seu depoimento foi muito bonito. Hoje casamento virou evento social e quando a gente vê alguém casamento conscientemente dá uma alegria muito grande no coração. Viver a vida matrimonial não é fácil, exige dedicação, abnegação de si mesmo, renúncias, mas quando a gente ama verdadeiramente a pessoa com a qual nos casamos, nossos sacrifícios são transformados em alegria na nossa alma. São Pio de Pietrelcina disse que a vida matrimonial é como estar no Calvário em companhia de Jesus Cristo, então é isso que todos os que vão contrair matrimônio devem saber e ter em mente.

    Seja muito, mas muito feliz!

    Beijos e fica com Deus!!

    • Salve Maria,
      Obrigada pelas palavras,Mel! Que todas nós sejamos felizes nesta escolha, pois precisaremos de toda ajuda do Céu que Nossa Senhora nos enviar! Paz

  4. Oi,
    Parabéns pelo casamento, felicidades p/vc, agora é q a festa começa!
    Vc deixou seu buquê aos pés de N.Sra., igual a mim, minha mãe, avó, etc…
    Não sei se vc sabe, mas isso é uma tradição portuguesa, qdo fazemos isso pedimos para N.S.ra. cuidar do nosso lar… Só q na nossa família quem leva o buquê na igreja, no dia seguinte, é a mãe da noiva…
    Qdo fui comprar o meu buquê, pedi ao dono da floricultura q ele fizesse um outro, simplezinho, para eu jogar na festa, pq o meu de casada era de N.Sra. Eu me lembro q ele ficou tão emocionado (este sr. era português e disse q lembrou de sua família), q fez 2 buquês lindos, idênticos, pelo preço de um…
    Comigo a tradição deu certo, este ano completo 13 anos de casada, com dois filhos lindos ( e mais um ou dois filhos, se Deus mandar… reze por mim…).

    • Salve Maria,
      Não sabia que era uma tradição portuguesa… que bonito! Eu só não queria jogar o buquê, e queria dar uma presente para Nossa Senhora… obrigada por partilhar e pelas palavras! Paz

  5. Salve Maria Puríssima!

    Que linda! Muitas felicidades em sua nova fase da vida! Que Deus lhes dê as graças de seguirem o perfeitíssimo exemplo da Sagrada Família.
    Rezarei por vocês; rezem por mim.

    São José, chefe da Sagrada Família, rogai por nós!

  6. Nossa eu estou quase chorando, fiquei muito emocionada com o texto…
    Realmente você estava linda, que Deus e Nossa Senhora confira à vocês todas as bênçãos que um casal possa ter.
    Parabéns.

  7. Salve Maria Santíssima!

    Muito emocionante o relato. Este foi um dia lindo… Todos que estiveram presentes na cerimônia se lembrarão para sempre de quando entrou na igreja.

    =]

  8. Parabéns!!!

    Que belíssimo exemplo em meio a tempos tão difíceis.

    Que a Virgem Santíssima esteja sempre te amparando e ajudando.

    Salve Maria Imaculada!

  9. Parabéns! Lindo texto, muitas graças sejam derramadas sobre você e seu esposo, que ao seu exemplo brote muito mais casais que busquem viver a santidade no matrimônio, reze por aquelas que também esperam ansiosas por encontrarem um José e viverem o amor que Nosso Senhor tanto espera de nós. Shalom

  10. Salve Maria!
    Parabéns!
    Volto a dizer que antes do seu testemunho e das outras “meninas”, rs eu mal sabia o que era o matrimônio, só sabia o que o mundo chama de casamento… É muito bom saber de testemunhos assim, é um alívio e ao mesmo tempo uma esperança para minha vida, esperar e me preparar para o que Deus tem para mim, obrigada, cada palavra me ajuda muito e tenho certeza que a juda muitas outras =D
    Continuo rezando por vocês e que Deus mande muitos filhos e que você seja uma rainha do lar a exemplo da Santíssima Virgem

    • Precisamos dar testemunhos, para que as pessoas não se sintam tão sós! Obrigada uma vez mais pelos lindos votos, estou tão feliz com as palavras de todos!!

  11. Luciana,

    Meus parabéns, seu vestido está muito bonito e, o que é mais importante, impecável (no sentido literal do termo). Achei impressionante você conseguir o desenho da renda tão semelhante quanto ao do modelo que se baseou (muito bonito, por sinal).

    Seja feliz em Cristo com seu esposo. Através desse Sacramento, que Deus lhes dê a graça de O amar mais e, assim, ter a maravilha de se santificarem.

    • Olá Emanuelle, obrigada pelos votos; também eu fiquei impressionada com o resultado final da renda! Volte sempre!

  12. Sempre passo por aqui, mas nunca deixei um comentário. Quero lhe dizer que chorei com o seu texto! É belíssimo ver um sacramento tão profundamente vivido como no caso de vcs. Deus abençoe seu matrimônio e que ele lhe leve ao céu!

    • Obrigada, Alessandra… fique a vontade para comentar sempre que quiser! Obrigada pelos votos, reze por mim; sempre incluo vocês nas minhas orações!

  13. Salve Maria!
    Parabéns pelo seu matrimônio Luciana.
    Desejo que Nossa Senhora cuide sempre do seu lar e seja sempre o seu exemplo.
    Adorei o seu relato e a renda do seu vestido, lindíssima; bem como, a sua mantilha. O seu vestido estava impecável.
    Se Deus me conceder a benção de receber o sacramento do matrimônio quero que seja parecido com o seu, porém, dentro da Santa Missa (acho que o seu não teve, né?).
    Peço que por mim, pela minha vocação, pelo meu namoro e namorado.
    Que Deus os abençõe.
    Abraços

    • Salve Maria!
      Deus lhe abençoe pelas palavras e votos!
      De fato, o meu casamento não teve missa, gostaria de ter dito, mas … não foi possível! Deus sabe…
      rezarei nas suas intenções…
      Paz

  14. Luciana,
    Parabéns pelo seu matrimônio, que a cada dia seja mais abençoado!
    Tem sido muito bom ler esses textos, o blog ficou quase que um “diário”, né? Seu testemunho é edificante para todas nós! Continuo rezando por vocês dois! :)
    Salve Maria!

    • Salve Maria
      muito obrigada pelos votos! De fato, virou quase um diário mesmo, estava pensando nisso outro dia; tem muitas coisas que gostaria de escrever, e quem sabe dividindo um pouco do que eu vivo… reze por nós, eu rezo por todos os que passam aqui.
      Fique com Deus

  15. Não consigo parar de ler o seu blog, a cada leitura de cada texto é como se eu descobrisse algo novo, uma pérola que se revelasse aos meus olhos, já li ele inteiro umas cem vezes (rsrsrs), e aprendo a cada dia com suas reflexões.
    Agora esse relato sobre o seu casamento é incrível, nunca vi nada parecido, sentimos emoção ao lê-lo, mas não pelo luxo das produções como nas cerimônias atuais, e sim pela sacralidade (que é o que deveria reinar nesse momento), espero um dia poder ter um casamento como o seu, e um vestido parecido (é muito inspirador o seu modelo).
    Fique com Deus, e que ele abençoe você, seu marido e sua filhinha que está para nascer.

    • Salve Maria, Lidia!

      Obrigada por acompanhar o blog. Ah, o dia do casamento é realmente inesquecível. Escrevi este texto ainda sentindo o clima daquele dia tão importante e bonito. Como você disse, não é preciso luxo para que se possa ter um casamento belo e sacral.
      Fique com Deus!

  16. Caso-me esse ano e acabei encontrando teu blog. Não consegui não te parabenizar. Vivo elogiando a internet pela quantidade de informações disponíveis, mas, por incrível que pareça, é bastante difícil encontrar textos bem escritos e realmente úteis. Há muita baboseira por aí. Parabéns por seu blog, por escrever tão bem nele e por, compartilhando seus pensamentos, incentivar uma vida cristã. Que Deus abençõe seu lar!

  17. A propósito, me deparei com seu blog pois estava procurando alguma informação sobre liturgia do matrimônio. Não consigo encontrar nenhum livro que explique isso. Acho que vou perguntar a algum padre. Queria montar o roteiro do meu casamento de maneira bastante litúrgica, mas ao mesmo tempo em que queria comungar nesse dia, também não queria uma Missa completa, ou seja, queria realizar apenas a cerimônia de matrimônio com a eucaristia, sem todas as partes da Missa. Estou suspeitando que isso não deve ser liturgicamente adequado. Se você souber me ajudar, te agradeço. Só para esclarecer: reconheço a importância da Missa, mas não queria que meu casamento fosse semelhante às Missas que frequento todos os domingos.

    • Salve Maria, Danielle!

      Desculpe a demora em responder, já se passaram 3 meses! Mas, se acompanha o blog deve ter visto que período minha vida foi bem apertada em relação ao tempo. Espero que possa te ajudar ainda (não sei se já casou).
      Respondo bem objetivamente: sim, seu casamento pode ser sem missa. O meu casamento, aliás, foi assim.
      Escolhemos fazer só a cerimônia do casamento e a recepção da eucaristia (para os noivos).
      Foi muito bonito e singelo. Acho que você pode ter um casamento muito bonito assim.
      Fique com Deus!

  18. Luciana,

    Parabéns pelo blog!!

    Estou noiva e justamente ontem saí à procura do meu tão sonhado vestido..
    Sempre sonhei em me casar com vestido de mangas compridas.. Mas, como você mesma já disse em outro post, o mercado parece apenas nos oferecer os “tomara-que-caia” (nada modestos)..
    Quase sucumbi à tentação de usar um modelo desses, acompanhado de um bolero (para a cerimônia na Igreja, já que eu não queria usar nada decotado na frente do Sacerdote e na casa de Deus).
    Para a festa, eu tiraria o bolero e ficaria com o vestido “tomara-que-caia” mesmo, pois todas as pessoas que estavam comigo na prova do vestido disseram que eu tinha ficado mais bonita e mais jovial com esse modelo (à excessão da minha mãe, que nunca escondeu sua preferência pelos vestidos mais tradicionais e recatados).

    Passei o dia angustiada, na dúvida.
    Bate aquele medo de escolher um modelo mais modesto e meu noivo (apesar de ser católico e ter certa formação) achar que não estou tão bonita.
    Mas depois de ler o seu post, estou segura de que o modelo de mangas compridas (que sempre sonhei) é, de fato, a melhor escolha!!

    Fiquei aqui meditando nas palavras que você escreveu sobre a modéstia e consegui vislumbrar que a beleza da noiva está muito mais ligada às Graças que Deus vai derramar ali naquela cerimônia do que com o vestido ou qualquer outro acessório que ela venha a trajar.

    E mais, penso que se eu estiver usando um vestido que seja apropriado para adentrar a casa de Deus, sem causar nenhum constrangimento, é aí que Ele vai derramar sobre a cerimônia toda a beleza e resplandescência divinas justamente para que eu possa dar testemunho de que é possível ser uma noiva bela, se vestindo como uma filha de Deus.

    Portanto, agradeço imensamente pelo apostolado que tem feito por meio desse blog. Saiba que está gerando muitos frutos e colaborando com a obra de Deus no mundo.

    Essa é a minha primeira visita de muitas.

    Em Cristo,
    Ju

  19. Oi Luciana sei que esta de resguardo do Dimitri, mas não posso deixar de escrever pra dizer que estou noiva, e já em busca do meu vestido, sempre disse q me casaria com um vestido parecido com o de Nossa Senhora, e vendo o seu é exatamente igual ao seu que quero o meu. Devo me casar na proxima páscoa tenho mais ou menos 8 meses até lá e com a escacez de vestidos modestos não sei se vou conseguir apesar que ja coloquei nas mães da Mãezinha do céu q ela passe a frente e me ajude a encontrar um vestido como o dela pra receber o sacramento tão sonhado por mim… ainda escreverei sobre minha história que apesar de tão penosa hoje sou grata até pelos sofrimentos pois vejo unicamente o amor do Senhor por mim e por meu futuro esposo. Obrigada Luciana por ser um grande exemplo de mulher, esposa e mãe cristã! Que Deus te abençoe sempre! Fique na paz Jesus e o amor de Maria

  20. LINDO,LINDO PARABÉNS CASAL LINDO,AMEI O MODELO DO VESTIDO DA NOIVA,IMPECÁVEL. DEUS ABENÇOE O CASAL.

  21. Olá,

    Adorei seu depoimento e seu vestido é lindo!
    Gostaria de lhe fazer uma pergunta: vc entrou sozinha na igreja? Se sim, como foi? Tem alguma dica? Pergunto isso porque vou entrar sozinha. Beijos!

    • Oi Grace!
      Entrei sozinha. Claro que eu gostaria de ter entrado com meu pai, mas além dele morar distante, é de outra religião.
      Mas eu só fiquei um pouco nervosa. Basta entrar confiante, no centro, devagar. Lembre-se que Deus é Pai e estará contigo! :)

  22. Olá, Irmã Luciana!
    Deus te abençoe!

    Que linda a sua história.
    Deus se agrada em ver pessoas com corações sinceros, diante do Altar com suas vidas rendidas.
    Seu vestido é muito lindo, e fico pensando no meu futuramente.
    Creio que Deus prepara pessoas para nos ajudar nesta hora de fazer o vestido.
    Deus continue abençoando seu lar!

    Um abraço em Cristo Jesus,

    Rebeca – São Paulo/SP

  23. Olá, querida!

    Apesar de todo esse tempo, encontrei esse tesouro de postagem sobre seu casamento. Penso exatamente como você quando o assunto é a paganização em que se tornou um momento que deveria ser o mais sagrado para a vida das pessoas que possuem essa vocação. Fico profundamente decepcionada em ver noivas se desesperando com todos os “detalhes” e, pior, sendo a maioria deles relativa ao baile que muitos querem dar após a cerimônia religiosa. Algumas pessoas nem se lembram da parte da Igreja, aquela que, de fato, oficializa o sacramento, mas estão mais interessadas na festa! E eu sinceramente nunca entendi por que os noivos se preocupam tanto com isso, a ponto de arrumarem dívidas enormes para pagar depois. O casamento virou um grande evento social, a exemplo do que fizeram com o batismo e a 1ª Eucaristia. Lamentável!!!

    Quando eu me casar, pretendo algo simples também, pois sei que o ponto alto é a recepção do sacramento. E normalmente as coisas mais simples são as mais completas também…

    Que a Família de Nazaré proteja sua família e seu lar!

  24. Pingback: Moja suknia ślubna | TWE SUKIENKI

  25. Amei ler estes textos! Parabéns. Escolhi um vestido bem tampado para o meu casamento e até agora ficava um pouco preocupada, agora não estou mais.
    Sou muito devota de Nossa Senhora de Guadalupe, ver a imagem da amável mãezinha aqui no seu blog é um consolo imenso .

  26. Pensei em ofertar o meu buquê a Nossa Senhora, mas o roteiro da minha diocese, que faço questão de respeitar, não há espaço. (:

Este blog tem proteção contra comentários com conteúdo impróprio e palavras de baixo calão. Críticas só construtivas. Obrigada!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s