Vida de mãe

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEu sou uma mãe de dois filhos agora! Algumas pessoas estão pedindo o relato do meu segundo parto, mas não sei se conseguirei escrever… claro, você já deve imaginar: falta tempo. Mas não é só isso. Falta a minha reflexão. Sempre sonhei com o parto natural – que, desta vez, tive – mas aquela história de luta, acabou. A verdadeira luta foi meu despertar para esta questão, há 1 ano e meio atrás. Foi especial, sim. Gostaria que todas pudessem ter isto, porque quase todas as semanas  recebo mensagens de mães (católicas) que adorariam ter um parto normal, mas … acabam na cirurgia. Outro dia ouvi uma mãe de 32 anos – jovem, portanto  – e no terceiro filho, dizer que havia tido três cesáreas (!) por necessidade. Jovem, saudável, sem nenhum agravante… enfim, quem me conhece sabe que é uma questão importante para mim (posso falar sobre isso em  outro post)

Hoje eu vou falar um pouco da minha rotina… todas as semanas alguma mamãe me envia um e-mail falando de suas dificuldades do dia-a-dia, e quase sempre toda a questão se trata de aceitação e superação: aceitar a solidão e superar o fato de que, concretamente, não se pode mudar muitas coisas. Mas podemos mudar de atitude. Como toda jovem desta geração, minha rotina antes de casar era bastante “livre”. Eu fazia faculdade, gostava de ir à livrarias, passava horas desenhando e fazia dança. Depois comecei a dar aulas (muito sofrível, por conta da realidade das escolas e dos alunos) e passeava muito com meu noivo: participávamos das Missas, fomos catequistas na nossa paróquia, entre muitas outras coisas. Engravidei depois de 3 meses do meu casamento: Glória a Deus! A partir disso, toda a minha vida mudou.  Eu não fazia ideia da dimensão desta mudança,que continua a me transformar até hoje…OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Enfrentei algum tédio nos meses iniciais. Não que não houvesse o que fazer – sozinha o difícil é fazer tudo – mas a rotina de casa pode ser monótona demais quando você não sabe por onde começar. No começo,quando o orçamento é ainda mais apertado porque estamos montando a casa, tudo aquilo que poderia facilitar a vida está no fim da lista de prioridades!  Mas eu fui aprendendo algumas coisas… fiz um painel do pinterest  porque as mães americanas têm muitas ideias de como fazer as coisas com pouco: pouco tempo, dinheiro e material. Aprendi que, nos 2 primeiros anos do bebê, você não precisa comprar brinquedos (só indico mesmo  o mordedor), já que eles se interessam por tudo e enjoam de tudo rapidamente. Fiz e faço muitos brinquedos e atividades para Lupita usando materiais como bóia espaguete de piscina, botões grandes e caixas. Isso é ótimo, principalmente porque ela pode explorar diferentes coisas e eu quase sempre consigo aproveitar o material para novas atividades (acredite… para um bebê curioso de 1 ano o brinquedo pode ser o máximo hoje e completamente desinteressante antes do fim de semana)

Então, todas as semanas eu me proponho a criar pelo menos 1 atividade ou brinquedo diferente para Lupe [futuramente para Dimi]. Ás vezes, faço bem mais, às vezes nenhum. Tudo bem, sem problemas. Nos fins de semana fazemos bolo ou outra receita interessante; durante a semana pode acontecer também. Deixo-a participar de tudo, porque ela adora cozinhar, e eu a mantenho ocupada. Ela quer fazer tudo, é a menina mais prestativa que conheço [espero que não mude, rsrs]; já faz bolo com facilidade e sabe exatamente a sequência de preparo do seu cereal natural de aveia. Eu aprendi que a hora de sonecas deles é também a minha hora de descanso – por isso, exceto quando a tarefa é pesada ou perigosa (limpar banheiros, por ex.), eu faço com as crianças acordadas. Quando Lupe pode ajudar, ela ajuda, caso contrário, fica no superyard observando…O superyard é um cercado que está à venda na Wallmart Brasil, com bastante espaço para a criança e que pode ser usado em todas as superfícies, inclusive na praia. É muito útil e eu indico para as mães que querem uma área segura para seus filhos com menos de  3 anos brincarem. Eu não uso aquele cercadinho que parece um berço, por ser pequeno e parecer uma gaiolinha… as crianças não gostam e não ajuda muito. De minha parte, nem teria cercado, mas é útil sim, e vale a pena!
OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Agora, com Dimitri fazendo 2 meses, estamos saindo mais. Uma vez por mês é a meta de fazer alguma atividade fora de casa. Pode parecer pouco, mas às vezes nem conseguimos cumprir, já que isso depende de alguns fatores. Também queremos visitar as famílias, que moram em diferentes cidades. De qualquer forma, sair com bebês é sempre um pouco complicado: o tempo nem sempre ajuda, é preciso alguns cuidados… enfim, mas acabamos nos divertindo!

Em todos os dias com sol, as crianças brincam ao ar livre, aproveitando a frente de casa. Lupita gosta bastante! Ela mesma arrasta seu tapete laranja e joga seus cacarecos lá; geralmente ficamos brincando juntas no fim da tarde, depois do lanche! É quando minha irmã está perto de trazer o pão para nós! Um pequeno ritual de família para ir alegrando o dia…

Não tenho televisão. Não acho que só existam coisas ruins na TV – eu mesma assisto algumas coisas na internet e em DVD – mas não entrou, definitivamente, na lista de prioridades! Eu também acho que o problema maior da TV não é o de ver coisas boas ou ruins, mas o fato de uma família organizar muito o seu dia e rotina em função dela. Já escrevi sobre isso aqui no blog. A esmagadora maioria das pessoas usa mal… isso significa que a própria concepção do uso da televisão é ruim, isto é, consiste num mau hábito, cuja disciplina para fugir disso deve ser praticamente militar. Não tê-la gera muitas oportunidades: não apenas oportunidades realmente boas, mas únicas: estão lá unicamente porque você não tem TV.  
OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Meu maior problema na cozinha é… cozinhar as carnes. Eu não gosto muito de carne vermelha, por exemplo. Precisa ser muito bem-feita para eu conseguir comer, já que esse não é, nem de longe, meu prato preferido. Eu tenho mais ou menos 5 receitas para variar durante a semana, e pretendo aprender outras. `Por enquanto, vou revezando e consigo fazer almoço para dois dias, para não ficar com o tempo tão apertado. O arroz fica como novo quando você esquenta na panela a vapor; fazemos feijão duas vezes por semana em grande quantidade, pois aqui comemos diariamente; carnes ensopadas ficam até melhores no dia seguinte, mas assados só no dia mesmo. Não temos o costume de jantar, mas tomar café e comer coisas como cuzcuz, sopas, sanduíches, mandioca, etc.

Já estamos começando os preparativos para o Natal, pois se deixamos para frente, não fazemos nada. Você pode olhar meu painel do Pinterest para ter ideias. Esse ano faremos calendário, árvore de feltro para as crianças, receitas especiais e estamos vendo outras coisas… é a melhor época para você “engrenar” na vida litúrgica em família, pois há muito o que se fazer, as crianças amam e tem, realmente, uma benção muito particular. Esse ano eu passei por algumas situações pessoais difíceis, e pretendo me dedicar ao Natal para me aproximar da Sagrada Família como realmente estou precisando!

Meu marido sempre insiste para que poste aqui pelo menos duas vezes por semana! Conto com suas orações… eu não vou dizer que não tenha absolutamente tempo algum livre, mas estou usando-o para outras coisas… mas farei um esforço para agradar o esposo!

Fiquem com Deus 

Anúncios

12 comentários sobre “Vida de mãe

  1. S.M.,

    Luciana, que bom que voltaste a escrever. Teu marido tem toda a razão, deverias escrever todas as semanas! Gosto muito de ler o que partilhas. Confesso que gostaria de estar em casa sempre e educar os meus filhos, mas, por enquanto não é possível. Sinto-me inspirada e tenho refletido muito sobre o assunto.
    A nossa sociedade está toda ao contrário. A mãe tem que pedir “licença” para poder estar poucos meses com o filho. Não é suficiente.
    As vossas famílias reagiram bem à escolha que vocês fizeram? Sinto muita dificuldade em gerir os relacionamentos familiares e seguir o caminho que acho mais correto (um parecido com o teu). Mas continuo a tentar, sempre.
    Beijinhos e que Deus abençoa a vossa família

  2. Lu, como é que é? Lupita já faz bolo? Eu entendi bem? Gente, essas crianças são demais! rsrs

    Parabéns pela sua família, crescendo, que lindo!

    Olhe, te enviei um email há semanas, deve ter se perdido em meio a tantos outros, mas dê-me notícias ;)

    Um dos meus segredos para carne vermelha é usar cominho em pó. Fica ótimo!

    • Ela faz sim , ANdrea.. tem que ver ela quebrando os ovos… rsrsrsrs
      Eu ajudo,mas ela é bem esperta mesmo!
      beijos
      vou dar uma olhada no email!

  3. Parabéns pela família linda que tu tens! Que Deus abençoe a todos vocês! Saúde e paz! Conte com as minhas orações e me inclua nas tuas.Beijos.

  4. Olá Luciana! Não sou católica, mas acompanho suas postagens neste blog e no Teus Vestidos há alguns meses. Acho seus textos muito bonitos e inspiradores, pois ensinam a nos dedicarmos ao que realmente importa em nossas vidas: o amor a Deus e às nossas famílias, e me ajudam muito a seguir em frente. Ficarei muito feliz com postagens mais frequentes! Parabéns por sua linda família e que Deus me permita um dia ter uma como a sua.

  5. Que lindas as fotos, principalmente esta ultima onde vc aparece ao ao livre com sua filha, hoje parece que está ficando cada vez mais raro vez mães e filhos juntos fazendo coisas simples. Deus abençoe sua família.

  6. Luciana,
    Parabéns! A Lupita está linda e o vestido ficou ótimo nela, fiquei feliz em vê-la com ele. E você parece mais bonita.
    Que bom seu esposo achar que você deve escrever mais aqui… seja submissa a ele… kkkkkk Nós agradecemos.
    Que Deus abençõe você, seu matrimônio e sua família.

    • Ficou lindo mesmo!Muito obrigada! :) Já é a segunda pessoa que me diz que fiquei mais bonita depois da maternidade.. então, deve ser sério mesmo! rsrsrsrsr
      Beijos
      Fique com Deus

  7. Luciana, não sei se você sabe disso, mas quero deixar um relato caso não saiba:
    Ler seus textos sobre maternidade fizeram uma GRANDE diferença em minha vida. Seu marido está certíssimo em falar para você não abandonar o blog, com certeza Deus te usa aqui.

    Nunca vi uma mulher perceber TÃO bem quais as dificuldades da maternidade, e principalmente perceber quais são os receios atuais das mulheres quanto a serem mãe e o porque de tantas mulheres preferirem trabalhar.

    Bem como conseguir expor essas coisas e mostrar um modelo diferente, mostrar a realidade de ser mãe – sem romantismos… Apenas exaltando a maravilha que é pelo que realmente é, com suas dificuldades (não como sonhamos em ser).

    E as suas soluções são incríveis. Sou apaixonada por trabalhos manuais, e por educação de crianças (estudante de pedagogia). Sonho em ser uma mãe que faz todos os brinquedos para meu filho e que está sempre perto, estimulando-o e educando-o. Por isso admiro muito também seus posts sobre brinquedos que você fez, projeto de literatura, alfabetização…

    Eu sei que serei uma mãe melhor. Há pouco tempo, apesar de saber lidar com crianças e ter trabalhado em creches, eu ficava apavorada com a ideia de ser mãe, e eu nem sabia identificar de ONDE vinham esses medos.

    Após ler alguns textos no seu blog, orar bastante e ler outras fontes, identifiquei que eu sofria de um medo artificial, colocado em mim pelo modelo feminista em que somos educadas. Hoje sei que estou pronta para ser mãe (não sou casada, rs, digo pronta quando eles vierem), e sei COMO fazer isso e qual é a melhor forma de fazê-lo: Não falo aqui de uma receita de bolo pronta, que vai deixar tudo fácil, mas de uma visão de mundo diferente, que muda todas suas atitudes e sua forma de ver as dificuldades.

    • Muito obrigada, Cy!
      Eu fico muito alegre de saber que contribuí de alguma forma para o seu crescimento espiritual. Eu gosto de escrever aqui, pois sei que é como ter uma conversa com todas vocês. Vou querer dicas dos livros infantis sim… eu amo livros!!
      Que Deus te abençoe e você seja muito feliz no futuro casamento! Estou aqui para o que precisar!
      Grande beijo!

      • O meu preferido é O carteiro chegou. Esse pode comprar sem medo… Acho que as crianças maiores (especialmente que já tiveram contato com contos de fadas) aproveitam mais, mas o livro é simplesmente fantástico, as crianças ficam FASCINADAS, e da para trabalhar uns 6 gêneros textuais diferentes…
        Meia palavra não basta é um livro muito simples, mas muito legal para trabalhar consciência fonológica, com uma história engraçada…
        A casa sonolenta também é uma literatura de qualidade, e o bom é que é ótimo para trabalhar com a alfabetização, pois tem muita repetição…
        Ou isto ou aquilo, Festa no céu, sete histórias para sacudir o esqueleto…

        Todos esses que citei observei que são um sucesso com as crianças (pelo menos as que contei), e tem uma narrativa de qualidade. Nós, adultos, podemos perceber que foi escrito por alguém que sabe escrever (especialmente você que é formada em letras, rs), não só uma coisa ao estilo “patati patata”, e isso é importante para o gosto da criança por boa literatura.

Este blog tem proteção contra comentários com conteúdo impróprio e palavras de baixo calão. Críticas só construtivas. Obrigada!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s