Livros infantis: antigos e enciclopédias

imageSou apaixonada por livros infantis e infanto-juvenis. Leio-os não apenas para verificar que tipos de livros gostaria de dar para meus filhos, mas porque eu mesma tenho interesse nessa literatura. No meu pinterest, há muitos álbuns com sugestões de livros para crianças.

O mercado editorial atual, apesar de vender muita literatura ruim para crianças (coisas com zumbis, sociedades secretas e romance com teor sexual), tem muitas opções boas. Uma das vantagens desta época são as traduções, que além de mais profissionais, aumentaram a gama dos clássicos. Antes, era muito comum que determinado escritor não tivesse mais do que uma ou duas obras famosas traduzidas. Agora, as editoras investem na obra (quase) completa. É o caso do alemão Michael Ende, que escreveu A História sem Fim (lembra do filme dos anos 80? O livro é muito melhor), e que agora conta com diversos títulos lançados pela Martins Fontes.

Mas os livros infantis antigos têm muitos encantos e suas próprias vantagens. Eu acho que também seria interessante ter alguns livros antigos na coleção dos nossos filhos. Eles são muito peculiares. As ilustrações costumavam ser belas, a maneira como eles eram editados também era diferente. Contos de fadas e temas como bondade, amizade, coragem, etc., eram muito populares. Uma coisa que deixava a desejar, no entanto, era a falta de referência e catálogo: era bastante comum o fato das compilações de histórias não indicarem os autores. Tenho alguns livros assim: com títulos tais como “Histórias do arco da velha”, contos de Grimm, Andersen, e de autores que talvez nunca conheça, misturam-se sem autoria.

Contos, histórias fantásticas e maravilhosas, sobre reinos e seres mitológicos: num tempo em que o mercado editorial era ainda menos desenvolvido, quase todas as editoras investiam em traduções de clássicos universais que tratassem destes temas. E há muito material que nunca mais foi re-lançado, o que significa que vasculhar livros infantis antigos é uma excelente oportunidade para você que gosta deste segmento. 

IMG_7382

IMG_7138

Há algumas décadas atrás, era tradição lançar versões infantis de clássicos da literatura mundial para crianças. Há quem ache isso ruim, por achar que o que vale a pena ler mesmo são os livros originais. Eu discordo. Uma coisa é comparar as versões simplificadas para adultos ou jovens com a obra original: de fato, não há sentido em ler os textos simplificados nessa fase,  que são geralmente lançados apenas para quem não quer ler os livros e precisa conhecer a obra por alguma obrigação. Já as versões dos clássicos para crianças – por exemplo, Shakespeare ou Dickens – são boas oportunidades de contar as grandes histórias para os nossos filhos. Bom para lerem juntos, em voz alta!

image

528071_390212294335291_100000395707363_1223628_58731333_n

Enciclopédias

Antigamente, quando não havia internet, o que existia eram enciclopédias para quase tudo. Na minha casa, tínhamos várias. Eram a minha principal fonte de pesquisa para os trabalhos na escola. O bom é que não líamos apenas quando precisávamos cumprir a obrigação: servia para distrair. Passava as tardes lendo, conversando com minha irmã, procurando termos e assuntos que surgiam ao acaso.

image

 Acima, uma de minhas coleções preferidas: O mundo da criança, da Editora Delta, na versão lançada nos anos 90 (a última impressa aqui no Brasil). Temas como plantas, animais, brincadeiras, contos de fadas, história: cada volume se dedica à um tema, com ilustrações e fotos coloridas.

A coleção O Mundo da Criança teve outras edições nas décadas de 50, 60 e 70 (esta praticamente a mesma da década de 90). Todas são boas. Mas são diferentes uma das outras: convêm pesquisar os títulos para ver se lhe agrada. Essa coleção se atualizou de acordo com as décadas porque ela foi pensada para atender à demanda do que seria interessante para a infância. Há temas que todas tratam, como animais, mas o conteúdo não é o mesmo. Outros temas não se repetem, como por exemplo: a ênfase no estudo da Música. Numa das coleções antigas, há um livro só de músicas populares, com partituras e letras. Na década de 90, não.

image

As principais enciclopédias:

Laurosse – Tradicional e Infantil

Delta Universal

Barsa

Britânica

Trópico Enciclopédia Ilustrada (para crianças)

Enciclopédia Disney e Enciclopédia Manual do Escoteiro Mirim (também da Disney), esta última abaixo:

image

Anúncios

3 comentários sobre “Livros infantis: antigos e enciclopédias

  1. Gostei muito desta postagem!
    Tenho um filho de 7 anos e há alguns meses passamos a ler juntos todas as noites. É maravilhoso compartilhar esse hábito prazeroso com ele.
    O primeiro livro que lemos foi “Marcelino Pão e Vinho”. Li primeiro e achei que ele se identificaria com as peraltices do protagonista. Foi uma experiência muito rica, ele se identificou e o livro suscitou discutirmos vários temas católicos.
    Já lemos viagens de Gulliver e estamos lendo “Crônicas de Nárnia” (cativante e são lindas as analogias cristãs).

    Minha avó possui os “Manuais do Escoteiro Mirim” e na nossa última visita a ela pude reler alguns trechos e fiquei preocupada com algumas sugestões esotéricas , talvez não deixasse meu filho lê-los livremente.

    Outros livros interessantes para crianças são os atlas. Meu filho tem um e gosta muito de ver onde ficam os países, as bandeiras, etc.

    “A História Sem Fim” é o próximo livro que quero ler com ele. Já o recomendei, também, há várias pessoas. Li durante minha gravidez.

    Lemos muitos livros digitais, possui um e-reader e costumo procurar livros de domínio público para lermos e deixar a disposição dele. Outro dia meu menino disse preferir “livros de verdade” (também prefiro) mas a praticidade dos digitais é tão convidativa…

    Planejo ler “A História Sem Fim” com o livro físico por suas peculiaridades.

    Você poderia sugerir mais livros católicos para lermos com crianças?

    É muito bom o espaço que você criou para discutir, inspirar e exaltar a vivência da feminidade cristã.

    • Oi, Salve Maria!
      Fico feliz que tenha gostado do post. Obrigada pela informação da enciclopédia. Não lembrava dessas coisas esotéricas, apenas me recordo que tinha muitas informações úteis para crianças.
      Já vinha pensando em fazer um post sobre livros católicos, tão difíceis de achar… Vou me esforçar para reunir um bom número.
      Um forte abraço!

  2. Luciana, que bela postagem!
    Também eu sou fascinada por livros infantis, principalmente os antigos. ainda hoje me lembro dos livros que lia quando criança, pois desde pequenininha era apaixonada por ler! é uma pena que em nome do “politicamente correto, os livros “infantis” de hoje sejam em sua maioria histórias fúteis destinadas a incutir nas crianças os valores dessa sociedade decadente!
    quando tiver meus filhos (se Deus quiser) espero educá los tão bem como voces! que linda sua família! continue com seu belíssimo testemunho! de fato, nos dá esperanças de que nem tudo está perdido no mundo!
    Salve Maria!

Este blog tem proteção contra comentários com conteúdo impróprio e palavras de baixo calão. Críticas só construtivas. Obrigada!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s