Nosso “Dia da Bíblia”

Salve Maria!

Atualmente fazemos dois esforços principais com as crianças para a vida católica em família: o Dia da Bíblia e o Catecismo ilustrado. Hoje eu vou falar um pouco sobre como acontece o Dia da Bíblia, que começamos a fazer no segundo semestre do ano passado.

12659642_567579440061011_1892084400_n

Santa Teresinha do Menino Jesus, rogai por nós!

Duas vezes por semana (geralmente às terças e quintas) fazemos um momento de oração em conjunto e lemos as bíblias infantis das crianças e/ou quaisquer outros livros com temática religiosa. Começamos a rezar 1 dezena do terço este ano antes das leituras e foi tão bem recebido que até o final do ano eu espero rezar o terço completo com eles nessas ocasiões. Eu não quero parecer sistemática (realmente, não sou), mas se não começamos de um ponto suave fica difícil introduzir o terço diário em família com crianças pequenas. É um exercício também para nós: eu desejo que Lupita reze diariamente o terço com mais ou menos 5 anos, então, nestes anos que ainda faltam, é preciso trabalhar. Conheço alguns pais que introduziram até antes: isto vai de família em família.

12695826_567579413394347_1771297489_n Páginas do livro “Passagens bíblicas para cada dia do ano”, da editora Rosari

O ideal é que o momento dure no máximo 30 minutos (os nossos geralmente ficam em torno de 15-20 minutos), especialmente se as crianças forem pequenas como as minhas, para não cansá-las. Você também não vai querer enfadar os filhos, fazendo o momento solene demais e extenso, de modo que acabará por fazer deste o momento penoso da vida em família. Ao contrário: uma pequena dose é recebida senão com alegria, com resignação; mesmo nos dias em que os meus não estão muito dispostos, conseguimos fazer com que eles sentem, rezem e ouçam as histórias . Nos dias indispostos, lemos apenas 2 histórias após a oração, sem jamais comunicar que estamos fazendo isto por conta deles: longe de estimulá-los, isto só lhes permitiria fazer uso do mesmo comportamento para fazer o encontro durar menos. Mas há muitos dias em que lemos várias histórias, e somos nós que limitados, apesar dos pedidos.

Colocamos  algum ícone (o Menino Jesus ou Santa Teresinha), os terços e os livros na mesa. Então sentamos, dizemos alguma oração inicial, fazemos pedidos e intenções e rezamos a dezena do terço. Ás vezes lemos na bíblia antes sobre a meditação do mistério. Depois, lemos as histórias que tenham relação com a  liturgia (por exemplo, Natal, Páscoa, padroeiro) ou simplesmente deixamos que eles escolham.

Tenho feito o esforço de ler o livro “Passagens bíblicas…” durante o dia, ao longo da semana.

É isto! Simples como convém à nossa família… depois venho mostrar como ocorre o Catecismo ilustrado!

Anúncios

O Escapulário de Nossa Senhora do Carmo

Aproveitando a comemoração de Nossa Senhora do Carmo, dividirei com vocês o dia em que eu coloquei o Santo Escapulário! Foi muito especial; coloquei este ano no Congresso dos Fundadores, juntamente com meu noivo e outros jovens e crianças!

O Escapulário de Nossa Senhora do Carmo

Muitas pessoas usam  correntinhas-escapulário, mas poucos sabem quantas graças se obtém ao usar dignamente o escapulário de Nossa Senhora. Primeiro, não basta comprá-lo simplesmente e colocar no pescoço – e nem qualquer escapulário vendido serve para a devoção. Lendo o livrinho O escapulário de Nossa Senhora do Carmo (você pode adquirir aqui) pode-se aprender sobre a história do escapulário, bem como ler testemunhos impressionantes sobre santos e leigos que o utilizaram e como todas as promessas se cumpriram!

As principais promessas são: ser preservado do fogo eterno do Inferno e ser liberto do Purgatório por Nossa Senhora, no primeiro sábado após a morte. As condições são: utilizar o escapulário com seriedade, nunca retirá-lo do pescoço, levar uma vida piedosa (guardar castidade segundo o estado), ser devoto de Nossa Senhora, e rezar as penitências impostas pelo padre. No livrinho li que é costume, há muito tempo, que às quartas-feira também se faça abstinência de carne, mas não tenho certeza se é obrigatório.

Coloquei o escapulário com o Pe David Francisquini em São José dos Campos, na quarta-feira de cinzas deste ano. Foi lindo! O padrinho do meu noivo nos deu o escapulário de presente, que precisa ser de lã marrom, café ou preta (ou como quer que se chame estas tonalidades). Não pode, portanto, ser de metal – mas pode ser protegido por material de plástico. A própria pessoa pode fazer o escapulário, recortando as partes quadradas ou retangulares de lã, e unindo com cordão das mesmas cores. O livro que eu indiquei vem com um escapulário, mas a pessoa pode pesquisar na internet e ver o melhor tamanho. Abaixo, meu noivo e eu, prestes a receber as bençãos:

O padre David impôs o escapulário lendo no missal em latim o rito próprio e nos aspergiu com água benta algumas vezes. No fim, ele nos deu a penitência de rezar 7 Pai-Nossos, 7 Ave-Marias e 7 Glórias todos os dias, até o fim da vida. Se por acaso o padre que impôs o escapulário em você não deu nenhuma penitência, significa que deve rezar diariamente o Ofício de Nossa Senhora. Quanta emoção! Foi realmente singular colocar o escapulário, e que mais católicos possam carregá-lo no peito como símbolo de amor à Santíssima Virgem!

Quem usa o escapulário do carmo também participa das boas obras que  toda a ordem do carmo realiza ao redor do mundo. Caso o seu escapulário parta, não se pode dar nenhum nó, embora seja possível costurar de novo. Se precisar de um novo, deve trocá-lo em até 24 horas. Os novos escapulários que colocar durante a vida não precisam ser colocados por padres, pois a benção está em você, não no objeto. De qualquer forma, você pode mandar benzer sempre, que é muito bom carregar algo bento perto do corpo.

A promessa de escapar do Inferno não pode ser obviamente a de se viver como bem quer, como apóstata, e depois achar que não será julgado pela justiça divina. Por isso os santos chamam a atenção para “usar o escapulário com devoção”. Mas é justamente aí que a grande promessa de Nossa Senhora mostra toda a sua misericórdia: sendo bons filhos, nos garante que não morreremos em estado de pecado mortal!

E que dizer do privilégio sabatino? Os santos indicam que terríveis tormentos há no purgatório, cujo fogo arde tanto quanto o próprio Inferno, e que o mínimo sofrimento lá é maior que o pior sofrimento da terra. Também há inúmeros relatos de como o “tempo” após a morte (estaremos na eternidade, então imaginem o que é isso) dá ás almas impressão diversa. Segundo li várias vezes, enquanto para nós aqui na terra se passam 15 minutos, uma alma no purgatório acredita estar sofrendo lá há anos! Tudo depende dos desígnios de Deus, portanto que não nos pareça pouco ser libertos no primeiro sábado após o falecimento! O autor do livro que indiquei também chama atenção para o fato de que nossas penas no purgatório poderão ser longuíssimas! Lembremos que a criança Amélia, umas das amigas dos pastorinhos de Fátima, fora condenada ao purgatório até o fim do mundo! Uma criança! Pensemos nisso!

Confiantes na bondade da Mãe de Deus, que esta devoção seja espalhada por todos, para que mais católicos recebam as graças das mãos daquela que é a Mãe de toda a Igreja, a Porta do Céu pela qual todos terão de passar para entrar no Paraíso: Maria Santíssima!

Abaixo, fotos do grande dia! Como vês, até o príncipe D. Bertrand estava presente quando coloquei o escapulário! Que honra!